Aprovação de Kassio Marques ao STF não terá resistências, prevê líder do Vanguarda

Aprovação de Kassio Marques ao STF não terá resistências, prevê líder do Vanguarda

Líder do Bloco Parlamentar Vanguarda, o senador Wellington Fagundes (PL-MT) afirmou nesta quinta-feira, 8, que a indicação do desembargador Kassio Nunes Marques para a vaga no Supremo Tribunal Federal (STF) não deverá enfrentar maiores resistências para ser aprovado. A sabatina e votação no Senado devem ocorrer no dia 21.

Segundo ele, além das qualificações necessárias ao cargo – reputação ilibada e notório saber – Kassio Marques traz como adicional um perfil voltado ao diálogo e a conciliação. “Estamos vivendo tempos de muitos conflitos ideológicos e políticos e o desembargador Kassio demonstra uma serenidade necessária para ajudar na pacificação das causas e da sociedade” – disse.

Na segunda-feira, 5, o indicado para a vaga de Celso de Mello no STF, conversou por quase duas horas com os senadores do Bloco Parlamentar Vanguarda, por meio de videoconferência. O convite aconteceu depois que o desembargador procurou Fagundes para pedir apoio a sua aprovação.

“Era importante esse diálogo. Não foi uma sabatina, mas criamos uma oportunidade de conhecê-lo melhor”- salientou, ao destacar que o bloco parlamentar tem se notabilizado, ao longo de sua formação, em reuniões que permitam o debate aberto e cordial. O bloco é formado por senadores do DEM, PSC e PL.

Durante a videoconferência, Kassio Nunes Marques, 48 anos, falou de sua origem e formação estudantil e acadêmica, com ênfase para o ensino público. Aproveitou para esclarecer a polêmica curricular pós-graduação. “Estão criando uma situação desnecessária, sem fundamento” – frisou o senador.

Kassio discorreu também sobre a questão ambiental, o excesso de ativismo no judiciário e apresentou seu entendimento sobre a prisão em segunda instância, cuja palavra final, segundo ele, cabe ao Congresso Nacional.

“Eu sou, tenho natureza de juiz daqueles que respeitam a decisão do Parlamento. O que o Parlamento decidir será respeitado” – disse o indicado.

Além disso, o desembargador do Tribunal Regional Federal da 1a. Região, com sede em Brasília, explicou sua aproximação com o presidente Jair Bolsonaro, a quem atribuiu exclusivamente sua indicação à vaga no Supremo. Avesso as redes sociais, ele fez questão de esclarecer ainda que tem perfil discreto e não tem vínculos políticos ou manifestações de cunho ideológico.

Da reunião, além de Fagundes, participaram os senadores Jayme Campos (MT), Rodrigo Pacheco (MG), Zequinha Marinho (PA) e Maria do Carmo Alves (SE), todos do bloco. Como convidados estiveram na videoconferência os senadores Marcos Do Val (ES), Elmano Ferrer (PI), Confúcio Moura (RO) e Marcelo Castro (PI).

Deixe seu comentário

Seu email não será publicado

× Como posso te ajudar?