Concessão de ferrovias pode passar para o Estado

Concessão de ferrovias pode passar para o Estado

Proposta nesse sentido foi apresentada aos deputados estaduais

A implantação de uma ferrovia em Mato Grosso poderá ser autorizada pela Assembleia Legislativa, assim como novos ramais para atender a demanda de cargas dos municípios ou até de grupos empresariais. Tudo depende da aprovação, pelo Legislativo, de Proposta de Emenda Constitucional e Projeto de Lei Complementar para criar e implementar o Plano Viário Estadual. A ideia foi apresentada, nesta segunda-feira (17.08) pelos senadores Wellington Fagundes (PL-MT) e Jayme Campos (Dem-MT) em reunião com o presidente da AL, deputado estadual Eduardo Botelho (Dem), e os deputados estaduais Janaína Riva (MDB) e Carlos Avalone (PSDB).

“Com isso, esperamos avançar mais rápido com os projetos de ferrovia no Estado”, avalia o senador Wellington, presidente da Frente Parlamentar de Logística e Infraestrutura.

Os diretores da Rumo – empresa que detém a concessão da Ferrovia Vicente Vuolo  (FERRONORTE), em Mato Grosso, – João Alberto (presidente) e Guilherme Perin (diretor de Regulação e Institucional) participaram da reunião com os parlamentares e avaliaram como muito positiva a iniciativa.

Em seguida, o grupo se reuniu no gabinete do governador de MT, Mauro Mendes, onde foi proposto a criação de um grupo de trabalho composto por representantes da classe política e membros do governo do Estado deve acompanhar os avanços no processo de expansão dos trilhos da Ferrovia Vicente Vuolo em direção a Cuiabá e o Norte de Mato Grosso.

A concessionária Rumo pretende expandir os trilhos de Rondonópolis, onde possui o maior terminal de cargas da América do Sul, em direção a Campo Verde, Cuiabá, Nova Mutum e Lucas do Rio Verde.

A expansão dos trilhos é compromisso da empresa após a aprovação, pelo Tribunal de Contas da União, da prorrogação antecipada da concessão da Malha Ferroviária Paulista e a viabilidade econômica do empreendimento já foi aprovada e aguarda aprovação do Ibama (projeto ambiental) e Agência Nacional de Infraestrutura de Transportes (ANTT) do projeto técnico.

Segundo a Rumo, a empresa dispõe de R$ 7 bilhões para investimentos em Mato Grosso. “Já adquirimos as áreas para a construção dos terminais de carga”, diz o presidente da empresa.

“Todos esses projetos que envolvem a infraestrutura de transporte reforçam o papel de Mato Grosso como grande produtor de grãos. Em maio, após decisão do TCU, a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) já assinou o contrato para renovação antecipada da Malha Paulista, operada pela Rumo Logística, que assegura o avanço da Ferrovia Vicente Vuolo em Mato Grosso”, avalia o senador.

Da assessoria

Deixe seu comentário

Seu email não será publicado

× Como posso te ajudar?