Senador sugere vacinação imediata de profissionais da Educação

Senador sugere vacinação imediata de profissionais da Educação

O retorno imediato às aulas presenciais, mas não a qualquer custo. Esta é a posição de representantes da Educação Básica durante reunião da Comissão Temporária da Covid-19 do Senado, nesta segunda-feira (07.06) que tratou dos impactos da pandemia no setor. Entre as principais estratégicas sugeridas está a vacinação imediata dos profissionais da Educação, que chegam a 2,7 milhões no Brasil. Desses, segundo dados do Movimento Todos pela Educação, 1 milhão receberam a primeira dose de vacina contra a covid-19 e outros 235 mil, a segunda dose.

Vacina

O relator da comissão, senador Wellington Fagundes (PL-MT) reforça a importância do retorno presencial das aulas e sugere uma recomendação ao governo federal para a vacinação imediata desses profissionais. Ele aponta para a perspectiva de melhoria na oferta de vacinas no país, como a possível aprovação, pela Câmara dos Deputados, de projeto de sua autoria que autoriza os laboratórios de vacina animal a produzirem vacina anti-covid. “Poderemos contar com 400 milhões de doses em até 90 dias”, diz. O projeto já foi aprovado no Senado e aguarda a apreciação pelos deputados federais.

Cenário

“O que temos hoje é um cenário catastrófico de aprendizagem, com altos índices de evasão”, disse o representante do Movimento Todos pela Educação, Olavo Nogueira Batista Filho. Segundo ele, o que se vê no Brasil é a retomada das aulas presenciais de maneira desigual e com baixa adesão em vários estados e municípios. Além disso, a medida enfrenta ameaças de greve, manifestações contrárias e até medidas judiciais. “O desafio é a retomada gradual, segura e efetiva”, defende. “Os efeitos da pandemia na educação básica são brutais. Precisamos de uma resposta à altura”, defende.

Secretário de Educação Básica, Mauro Luiz Rabelo garante que o Ministério da Educação tem estimulado a retomada das aulas presenciais e confirma uma defasagem muito grande em termos de aprendizagem. “A pandemia exigiu adequação na distribuição de conteúdo, de forma a chegar à casa do aluno, assim como a merenda escolar”, lembra. Mas todo esse esforço não supera os resultados possíveis com as aulas presenciais, garante.

Estrutura

O presidente da Undime (União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação) Luiz Miguel Martins Garcia, relatou as dificuldades de municípios menores na disponibilização de aulas remotas e na utilização de novas tecnologias e alerta para a perspectiva de retomada das aulas presenciais no momento em que as escolas ainda enfrentam vários problemas. Segundo ele, 46,5% das escolas municipais e 44,8% ainda têm problemas estruturais para essa retomada, como a falta de ventilação e espaço adequado como recomendam os protocolos da pandemia.

“Precisamos de ações efetivas para garantir ambiente de segurança para a retomada das aulas, como a decisão dos governadores de reservar 10% das doses para vacinação dos profissionais”, defende Vitor de Angelo, presidente do Consed (Conselho Nacional de Secretários Estaduais de Educação).

As demandas devem ser encaminhadas ao Ministério da Educação.

Deixe seu comentário

Seu email não será publicado

× Como posso te ajudar?