Publicação resolução – Internacionalização Aeroporto Várzea Grande

Home / Pronunciamentos / Publicação resolução – Internacionalização Aeroporto Várzea Grande

Senhor presidente,

Senhoras e senhores senadores

Nesta terça-feira, foi dado mais um passo para a tão aguardada internacionalização do Aeroporto Marechal Rondon, principal porta de entrada
dos turistas que querem conhecer as nossas belezas naturais ou que vêm ao estado para conhecer a nossa produção no campo e fazer negócios.

Em pelo menos duas décadas de espera, o Aeroporto Marechal Rondon chegou a receber vôos internacionais, como foi no caso da Copa do Mundo de 2014, quando Cuiabá era ligada por vôos a Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia. Mas a copa passou e os vôos foram retirados.

Hoje, quem quiser visitar um país da América do Sul usando avião, tem que ir a São Paulo ou Rio de Janeiro, o que amplia o tempo de viagem e o preço.

Um exemplo: quem mora em Cuiabá e quer visitar Lima, no Peru, é obrigado a ir até São Paulo ou Rio e, depois, voltar – em alguns casos passando por cima de Cuiabá – para chegar até a capital peruana. Isso sempre foi uma reclamação dos passageiros e do próprio trade turístico, que vê nisso uma dificuldade para quem
quer visitar Mato Grosso.

A internacionalização é um passo importante. O aeroporto foi totalmente ampliado, passou de pequeno para médio norte, registra um aumento no número de passageiros e no volume de cargas e foi repassado para iniciativa privada mediante concessão. O grupo deve assumir esse aeroporto em janeiro
do ano que vem.

E para receber vôos de outros países, já havia parecer favorável da Anvisa, Polícia Federal e Ministério da Agricultura – três dos órgãos que precisam se instalar na ala internacional. Faltava apenas a Receita Federal. Estivemos, então, fazendo várias gestões junto à Secretaria Nacional de Aviação Civil e a Comissão Nacional de Autoridades Aeroportuárias para alterar o manual para alocação de áreas em aeroportos para todos esses órgãos, permitindo, dessa forma, que todos eles: Polícia Federal, Receita Federal, Ministério da Agricultura e Anvisa possam se instalar no Aeroporto Marechal Rondon e começar a fazer o trabalho de alfandegamento para passageiros.

A resolução da Conaero está publicada no Diário Oficial da União de hoje, terça-feira.

A companhia aérea Azul há muito tempo tem tudo preparado para fazer o vôo ligando Cuiabá a Santa Cruz de La Sierra, a mais importante cidade boliviana do ponto de vista econômico.

Além disso, outras empresas aguardam essa internacionalização para começar a ligar Cuiabá a países da América do Sul e outros lugar do mundo.

Cuiabá está estrategicamente localizada no coração da América do Sul e o Aeroporto Marechal Rondon deve se transformar num hub de distribuição de vôos para todo o continente.

Para isso, o contrato de concessão já prevê, inclusive a construção de mais uma pista para pousos e decolagens, ampliando ainda mais a capacidade desse terminal aeroportuário.

É preciso reconhecer, aqui, o trabalho de todo o trade turístico e de lideranças empresariais e políticas que, durante muitos anos, lutaram por essa causa.

Espera-se um incremento muito grande no turismo e na economia do Estado.

Mato Grosso é o único lugar no mundo a contar com três biomas – Amazônia, Cerrado e Pantanal. Temos belezas naturais que encantam o mundo e atraem turistas que agora passarão a contar com mais essa facilidade – um aeroporto capaz de receber vôos de várias partes do planeta.

Temos uma produção no campo que atrai o interesse de empresas e pesquisadores
do mundo todo.

E um povo acolhedor e hospitaleiro, que se orgulha de mostrar a sua história, sua culinária, sua música e dança, sua alegria em receber um visitante.

A internacionalização é mais uma batalha vencida. Outras virão e o trade turístico pode contar com meu apoio.

Muito obrigado.

Deixe seu comentário

Seu email não será publicado

× Como posso te ajudar?